Os refrigeradores fabricados atualmente são, em média, 60% mais eficientes do que um modelo produzido dez anos atrás. Isso porque em meados de 1980 descobriu-se que o Freon e todos os gases do tipo CFC (clorofluorcarboneto) são danosos à camada de ozônio. O gás CFC, liberado por esses modelos de refrigeradores antigos, são um dos grandes potencializadores do efeito estufa.

Por que o CFC é tão prejudicial?

Apesar da produção e do uso serem proibidos no Brasil desde 2001, esses refrigeradores antigos ainda possuem CFC na sua estrutura. Quando esse eletrodoméstico não é descartado corretamente, o gás corre risco de se dispersar na atmosfera, agravando o aquecimento global. O potencial de aumento do efeito estufa do CFC é dez mil vezes maior do que o do gás carbônico.

Como escolher um refrigerador que não afete o meio ambiente?

Então, se hoje a questão do CFC já foi atenuada, qual seria o vilão para o planeta, quando o assunto é refrigerador? O consumo de energia!

 Na hora de escolher o seu refrigerador, não se deixe levar apenas pelas ofertas, preste atenção ao que diz o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro). O instituto disponibiliza uma tabela de eficiência energética que classifica os refrigeradores analisados com selos Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica). Esses eletrodomésticos têm uma classificação de consumo de energia que vai de A, mais eficiente, ao E, menos eficiente.

 

Na medição mais recente, o INMETRO relacionou os tipos de refrigeradores, marcas e modelos disponíveis no mercado em função do consumo e chegou ao seguinte resultado:

Classes

Categorias

Frigobar

Refrigerador

Refrigerador Frost-free

Combinado

Combinado
Frost-free

A

19

70,4%

48

66,7%

7

46,7%

70

85,4%

140

93,3%

B

4

14,8%

12

16,7%

0

0,0%

5

6,1%

2

1,3%

C

2

7,4%

4

5,6%

0

0,0%

4

4,9%

7

4,7%

D

2

7,4%

5

6,9%

4

26,7%

3

3,7%

1

0,7%

E

0

0,0%

3

4,2%

4

26,7%

0

0,0%

0

0,0%

TOTAIS

27 um

72 um

15 um

82 um

150 un

Para conferir a análise na íntegra: http://www.inmetro.gov.br/consumidor/pbe/refrigeradores.pdf

Onde descartar seu antigo refrigerador

Por enquanto o sistema de reciclagem dos refrigeradores ainda é amador, realizado em maioria por “sucateiros” que separam os materiais e os revendem. O problema é que, quando o motor é retirado, os gases poluentes saem e, como não há cheiro, são despercebidos.

Em breve isso vai mudar. A tarefa de reciclar eletrodomésticos no Brasil ganhará ares industriais com uma das primeiras fábricas de reciclagem de geladeiras, freezers e aparelhos de ar-condicionado da América do Sul. Foram investidos R$ 20 milhões, com apoio de órgãos internacionais, para a abertura do empreendimento pioneiro. A fábrica de Cabreúva (SP) será inaugurada em setembro de 2011.

Comparador de produtos

(0)