Quando o assunto é scanner, torna-se normal ouvir perguntas sobre a resolução, característica que irá definir a qualidade da digitalização e posterior impressão. Tanto na tela do computador quanto numa folha impressa, as imagens são reproduzidas pelo agrupamento de milhões de pontos extremamente pequenos. São os chamados pixels. Quanto maior a quantidade de pixels utilizados para formar uma imagem, melhor será a qualidade da mesma.

Ao configurar o scanner para uso você determina a quantidade de pixels, optando pela resolução mais adequada aos seus interesses. Quanto mais alta a resolução utilizada, maior será o tamanho do arquivo gerado. Portanto, se o seu objetivo é postar uma foto numa rede social, não é necessário caprichar na resolução, pois o tamanho do arquivo poderá dificultar o upload da imagem em função da velocidade de sua conexão. Em outra circunstância, se você deseja imprimir a cópia digitalizada, quanto maior a resolução utilizada, melhor será a qualidade do produto final.

Sempre que for scanear algo, prefira trabalhar com uma resolução maior do que a necessária, pois para diminuir um arquivo não se perde qualidade. Mas, quando é necessário aumentá-lo, ocorrem prejuízos aos atributos da imagem.

Existem dois tipos de resolução que você precisa conhecer para entender melhor o funcionamento e as aplicações de um scanner. Esteja atento!

Resolução óptica

É a que define a real capacidade do scanner em captar os pontos necessários para reproduzir a imagem em versão digital. Por exemplo, um scanner com resolução óptica estimada em 600 x 600 consegue capturar cerca de 600 pontos em uma linha horizontal e 600 pontos em uma linha vertical por polegada.

Resolução interpolada

É a resolução criada por um software quando se faz necessário ampliar a imagem sem prejudicar demasiadamente sua qualidade. Por exemplo, quando uma imagem de resolução 400 x 600 é ampliada em 10% do seu tamanho original seu formato cresce, mas a quantidade de pontos que formam a imagem continua a mesma. Com isso, surge uma imagem granulada, de baixa qualidade.

Neste caso, o recurso de resolução interpolada irá inserir novos pontos nos espaços vazios e esses pontos serão elaborados com base nas caracterísitcas dos pixels reais mais próximos. Desta forma, ocorre menor perda de qualidade. É como se o computador realizasse a função de autocompletar para preencher os espaços sem pontos. Quanto maior a resolução real, melhores serão os resultados obtidos com a interpolação.

Na dúvida, opte pela resolução de 72 dpi a 96 dpi quando o arquivo for para a internet. Caso a digitalização se destine à impressão, prefira 300 dpi, no mínimo.

Comparador de produtos

(0)