O tênis é um verdadeiro coringa quando o assunto é o seu uso. Pode ser para passeio, trabalho, prática de esportes e até para sair à noite. No quesito conforto, especialistas em ortopedia indicam o uso constante do tênis por causa dos solados flexíveis e dos sistemas de amortecimento.  Contudo, é preciso de atenção no momento da compra para evitar danos a saúde, já que o calçado influencia diretamente na postura por causa da pressão na planta dos pés.

Alguns problemas podem aparecer a partir do uso constante de um calçado inadequado como calos, joanetes, problemas na coluna, deformidade do antepé (ponta dos pés) e outros.

Em todos os casos de uso, o ideal é que o tênis seja macio e flexível, mas não mole. Precisa ser bem estruturado com suporte na parte de trás de modo que fixe o calcanhar para evitar a torção.

O primeiro passo é identificar o seu tipo de pisada

As pessoas têm formas de caminhar diferenciadas. Quando dizemos que alguém tem um “jeito de andar” é em função, principalmente, do tipo de pisada que esta pessoa tem.

Se a sua pisada for neutra, isso quer dizer que o contato com o solo se inicia do lado externo do calcanhar e, então, ocorre uma rotação moderada para dentro, terminando a passada no centro da planta do pé. Nestes casos, o calçado ideal é um que combine amortecimento e estabilidade.

Outro tipo muito característico é a pisada chamada de “supinada”. Nestes casos, a pisada se inicia no calcanhar do lado externo e o contato com o solo é mantido pelo lado externo, terminando a pisada na base do dedinho. Quem tem este tipo de pisada acaba por possuir um pé, geralmente, muito rígido. Se você se identificou com este tipo de pisada, saiba que seu calçado ideal é um que forneça aumento do amortecimento e da flexibilidade.

Existe ainda o tipo de pisada denominado “Pronada”. Quem anda assim, começa pisando pelo lado externo do calcanhar, algumas vezes um pouco mais para a parte interna, para então rotacionar seu pé para dentro, terminando a passada perto do dedão. Este tipo de pesada é identificada naquelas pessoas que tem algum tipo de hipermobildiade. Apesar do nome que remete à força, esta condição é uma má formação dos tecidos moles, como tendões e ligamentos, que pode levar à lesões, como torcer o pé com facilidade. Nestes casos o calçado ideal deve ser menos flexível e fornecer mais estabilidade e controle do movimento (retropé).

Depois, pense no uso principal do tênis

Há diversos tipos de tênis, escolha o modelo de acordo com o uso.

Tênis casuais: ideais para passear, pois aliam conforto e design.   

Tênis de basquete: são indicados para quem precisa de sustentação nos tornozelos. Os canos longos ajudam na proteção desta área além de evitar torções. Nessa categoria existem modelos femininos, masculinos, de cano curto e longo.

Tênis para prática de skate: O grande diferencial nessa categoria é o solado mais largo que confere maior aderência, além do reforço, já que na prática do esporte, o tênis é submetido constantemente à lixa do skate.

Tênis para caminhada: Os aventureiros que costumam praticar caminhada por trilhas e obstáculos podem escolher os tênis de trekking já que possuem a função antiderrapante e sistema de amortecimento que favorece a flexibilidade do pé.

Tênis para prática de diversos esportes: Além do sistema de amortecimento, o ideal é escolher modelos leves que permitirão maior mobilidade. Aderência ao solo e boa ventilação também são itens a serem analisados.

Categorias dos tênis de corrida

Existem cinco categorias para ajudá-lo a escolher o tênis ideal para a prática de corrida.

Controle de movimento (motioncontrol):

São os mais rígidos e orientados para controlar a pronação excessiva.  Geralmente são mais pesados, mas muito duráveis, e têm solado plano para oferecer maior estabilidade e suporte.

Você deve preferir este tipo de tênis caso tenha um grau de pronação muito acentuado ou se utiliza palmilhas especiais que necessitam de um solado firme e espaço no calcanhar para um bom encaixe. Corredores com pé chato geralmente se dão melhor com este tipo de tênis.

Estabilidade (stability):

Esta categoria geralmente tem um solado semi-curvo e oferece uma boa combinação de amortecimento, suporte e durabilidade. Você deve preferir este tipo de tênis caso seja um corredor com peso médio que não tenha problemas severos de controle de movimento do pé (super pronação) e quer um tênis com algum suporte e boa durabilidade.

Amortecimento (cushion):

Esta categoria geralmente tem a sola mais macia, maior amortecimento e menor suporte. Usualmente são construídos com solado curvo ou semi-curvo para estimular o movimento do pé. Você deve preferir este tipo de tênis se for um corredor, se não precisar de um suporte extra e nem tiver um grau excessivo de pronação. Corredores com arco do pé alto costumam se dar bem com este tipo de tênis.

Performance (performance ou lightweight):

Construídos com solado curvo ou semi-curvo, este tipo de tênis é leve e geralmente utilizado para competições ou treinos em ritmo rápido. Alguns são razoavelmente estáveis, outros não. Você deve ter um tênis deste tipo se for um corredor rápido e eficiente, ou quiser utilizar nas provas um tênis com maior amortecimento e suporte do que aqueles de competição (racing).

Trilha (trail):

São desenvolvidos para utilização em trilhas e terrenos acidentados ou enlameados. Esse tipo de tênis tem um bico Toe Box espaçoso e uma biqueira protetora. Têm maior tração, são estáveis e duráveis. Nesta categoria encontram-se tênis feitos exclusivamente para trilhas como o Adidas Equipment Roost, e outros que podem ser também usados em asfalto como o Asics Gel Trabuco e New Balance 801. Você não precisará deste tipo de tênis para correr em estrada de terra plana, sem buracos ou lama.

Outras dicas importantes

Quando as solas são feitas de borracha e com múltiplas densidades, proporcionam mais proteção por causa da transferência de energia.

As entressolas mais modernas possuem tripla densidade EVA a poliuretano ou TPUs, um tipo de material termoplástico que ajuda a absorver forças de impacto e, por consequência, impulsionam o indivíduo. Quando são produzidos somente em etil vinil acetato (EVA), se deterioram mais rápido.

Para corrida, fique atento à força do cadarço que deve manter-se tensionado para não criar pontos de pressão.

Comparador de produtos

(0)