Na hora de escolher uma impressora ou multifuncional, é importante saber como funcionará o processo de recarregar a tinta, seja através de cartucho ou de toner.

Como funciona o cartucho de impressora

Além de armazenar as diferentes cores, também possuem um sistema eletrônico complexo, chamado cabeça de impressão, responsável pelo controle de saída de tinta, e que calibra a saída da tinta para o papel. É um mecanismo de alta precisão, e a parte final do complexo sistema de impressão. Evite tocar nesse componente eletrônico exposto, já que qualquer impureza ou descarga de eletricidade estática pode danificar a leitura e prejudicar a qualidade da impressão.

Qual a diferença entre toner e cartucho?

Impressoras jato de tinta usam cartuchos com tinta líquida, e as impressoras a laser usam uma espécie de tubo de tinta em pó chamado toner. Quando a tinta da sua impressora acabar, é bom verificar o manual ou mesmo no site do fabricante qual é o tipo (toner ou cartucho) e também o modelo adequado antes de procurar e comprar. 

Como funciona o toner?

O toner pode ser chamado de tinta seca, mas na realidade é um tipo de pó plástico que as impressoras a laser usam para marcar o papel. Os cilindros cheios de pó também podem ser recarregados, num processo de remanufatura que passa pelas etapas de desentupimento, limpeza externa e interna e testes eletrônicos que garantem a capacidade de impressão semelhante à original.

Como funcionam os cartuchos

Os cartuchos da EPSON não possuem a cabeça de impressão, sendo esta parte do mecanismo da impressora.

A maioria dos modelos possui três compartimentos de cores: amarelo, vermelho e azul, e a mistura delas com o preto é a que resulta em milhões de cores e tonalidades diferentes de qualquer imagem. Normalmente a cor amarela acaba primeiro, pois é utilizada na maioria das misturas. Quando uma das cores acaba, a qualidade das imagens é comprometida, perdendo-se a fidelidade e gerando imagens esquisitas.

Quando insistimos em imprimir alguma cor mesmo depois do aviso de que a tinta acabou é que costuma ocorrer as queimas do circuito eletrônico por sobreaquecimento, tornando impossível a reciclagem do cartucho. Por isso, recomenda-se trocar o cartucho sempre que o software avise que a tinta acabou. Algumas impressoras, EPSON e CANON, possuem cartuchos de impressão para cores separadas, podendo-se substituir somente o amarelo, por exemplo, quando a tinta acaba.

Cada tipo de cartucho possui um número de referência, e é compatível com um ou mais tipos de impressora. O fabricante normalmente recomenda usar somente os cartuchos manufaturados por ele, mas também é impossível reencher o cartucho, remanufaturar ou comprar um compatível.

Originais

São os fabricados pelo próprio fabricante. Por cumprirem especificamente os modelos de fabricação, são os que costumam dar menos erros e gerar as imagens de melhor qualidade. A outra vantagem é que podem ser reciclados. A maior desvantagem é o preço, que costuma ser maior do que os reciclados. São recomendados para trabalhos profissionais onde a qualidade e o detalhe são aspectos vitais para o resultado final.

Reenchidos

Há duas maneiras de fazê-lo: você pode fazer em casa, com ferramentas disponíveis à venda, permitindo economizar o dinheiro de comprar um cartucho novo, ou reenchidos pelo próprio fabricante. Estes cartuchos custam menos do que os originais. O fabricante enche, perfura e sela o cartucho, como se fosse um novo.

Compatíveis

São fabricados por outras empresas que não o fabricante da impressora. Há empresas nacionais que importam os componentes, etiquetam, embalam e distribuem no mercado nacional. Algumas das melhores empresas nacionais são as que possuem controle de qualidade, seleção criteriosa de fornecedores estrangeiros e que garantem, de alguma forma, a performance e a qualidade dos seus cartuchos. Há compatíveis para impressoras e multifuncionais de todas as grandes marcas, mas às vezes alguns modelos não possuem esta opção. Os preços são entre os remanufaturados e os originais, e o índice de defeitos também é intermediário.

Remanufaturados ou reciclados

São cartuchos originais que são recarregados com tinta por uma empresa que não é o fabricante. Estas analisam e reprogramam eletronicamente a cabeça de impressão, para garantir que os microcomponentes não apresentem falhas. Também é conferido se não há risco de entupimento ou dano nos dutos internos ou algum outro problema que impeça a fluidez da tinta. Somente depois deste processo de qualidade é que o cartucho é preparado para receber o novo carregamento de tinta, feito a vácuo. O consumidor deve estar atento à loja e o fabricante do produto, pois há desde grandes empresas profissionais dedicadas a isso a manufaturas artesanais com pouquíssima qualidade, má fé ou uso de tintas não recomendadas, o que pode gerar impressões de baixa qualidade e até danificar a impressora. Os cartuchos remanufaturados mais de uma vez têm muito mais risco de possuirem defeitos, por isso recomenda-se a compra apenas dos que nunca tenham sido recarregados anteriormente.

Falsificados

Aqui, é o caso de comprar gato por lebre de verdade. O consumidor deve estar atento às características que garantem que o cartucho sejam originais da marca, como Epson, HP, Canon, etc. Confira se as embalagens internas e externas, selos e etiquetas são realmente de qualidade, para evitar comprar um cartucho velho ou mal recarregado pelo valor de um original. Desconfie de preços muito baixos, embalagens de baixa qualidade ou impressão da data de validade com indícios de adulteração. A foto do cartucho em baixa definição ou algum problema no selo também são indícios fortes de que não está comprando um produto de qualidade.

Os processos de vigilância para não comprar nada falsificado também são recomendados no caso de toners, e as empresas fabricantes continuam dizendo que a qualidade dos reciclados não é igual à dos originais, mas se você possui um orçamento apertado e não está tão preocupado com a qualidade final da impressão, pode até valer a pena.

Comparador de produtos

(0)